A prefeitura de Maracaçumé publicou nesta terça-feira (12) o decreto 04/2021 sobre a piracema onde proíbe de 01 de dezembro de 2020 a 30 de março de 2021, o exercício da pesca por qualquer tipo de modalidade e apetrechos, tais como: malhadeira de todos os tipos, tapagens, jequis, tarrafas.

Qualquer peixe comercializado no município, exceto da água salgada, deverá ter documentação que comprove sua origem, sob pena de apreensão e doação do produto.

Fica permitido pescar para alimentação da família com anzol de vara, porém não excedendo para comercializar.

Para a secretária de Meio Ambiente de Maracaçumé, Maíra Gabriela, o período de defeso da piracema busca proteger a desova dos peixes, garantindo o povoamento desses animais aquáticos. Além do mais, essa proteção permite que as espécies se reproduzam em quantidade segura para que nos meses seguintes a pesca não seja predatória e prejudique o ecossistema, e até mesmo a economia daqueles que vivem desta atividade.

SOBRE A PIRACEMA

O período de defeso da piracema ocorre em várias regiões do Brasil, e as datas variam de acordo com o ecossistema da localidade. Nós, estamos na Bacia hidrográfica Maracaçumé, e foi definido pelos órgãos competentes, o período de 1 de dezembro de 2019 a 30 de março de 2021 para a proibição ou controle de pesca.