O Governo do Estado enviou aos municípios maranhenses informe técnico sobre a Campanha de Vacinação contra a Covid-19. O documento é baseado nas orientações do Ministério da Saúde e norteia sobre grupos prioritários, precauções e contraindicações, registro das doses recebidas e usadas, bem como a periodicidade das informações visando à transparência quanto a execução da vacinação.

“No documento, os municípios poderão ter acesso aos detalhes técnicos de cada uma das duas vacinas administradas no Brasil, além dos públicos-alvo. Essa é a oportunidade de estado e municípios trabalharem juntos em prol da segurança e saúde do povo maranhense. Vale destacar que os informes continuarão a ser disponibilizados até vencermos a doença”, disse a superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, Tayara Pereira.

Intitulado “Orientações Operacionais para a Campanha Nacional de Vacinação Contra COVID-19 no Estado do Maranhão”, o Informe Técnico explicita que a primeira fase da vacinação está destinada aos grupos prioritários de maior risco de desenvolvimento de forma graves e óbitos, trabalhadores da saúde para manutenção dos serviços, indivíduos com maior risco de infecção e também os trabalhadores de serviços essenciais. 

A meta é vacinar pelo menos 90% da população-alvo de cada grupo no Maranhão, conforme pactuado entre o governo e as prefeituras na última reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), realizada no dia 23 de janeiro deste ano.

De acordo com o gestor da Unidade Regional de Saúde de Pinheiro, Janderson Gusmão, a boa articulação entre as três esferas de gestão resultará em um bom combate à pandemia. “Sem dúvidas, o documento irá proporcionar uma recepção positiva dos municípios, que terão um bom olhar pelo trabalho que está sendo desenvolvido pelo Governo do Estado. Será mais uma oportunidade de mostrar que não temos medido esforços no combate ao vírus”, avaliou.

Trabalhadores da Saúde

Em relação ao grupo de trabalhadores da saúde, o Ministério da Saúde, através do segundo comunicado divulgado no dia 23 de janeiro de 2021, dispôs necessária uma ordem de priorização, a fim de atender todos os pertencentes ao grupo com a vacinação. Fica facultado aos estados e municípios a possibilidade de adequar a priorização conforme a realidade local.

Segundo o Informe Técnico expedido pela SES, as orientações de priorização foram estabelecidas de forma a alcançar, inicialmente, as equipes de imunização que estiverem envolvidas na vacinação; e os trabalhadores dos serviços de saúde públicos e privados, tanto da urgência quanto da atenção básica, envolvidos diretamente na atenção – referência para os casos suspeitos e confirmados de Covid-19.

Registro das doses

O documento também leva informações quanto ao registro das doses aplicadas. O registro será nominal/individualizado no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (Novo SI-PNI/online) e poderão ser feitos no e-SUS, estratégia do Departamento de Atenção Básica, por meio da Coleta de Dados Simplificada. 

Quanto à periodicidade das informações, fica sob a responsabilidade dos municípios encaminhar os dados de doses administradas nominalmente e consolidadas para a Unidade Regional de Saúde (URS), diariamente. A URS, por sua vez, encaminhará o consolidado por município para o setor responsável pelo monitoramento, composto por equipe do nível central da SES.