A deputada federal Eliziane Gama (PPS) condenou os ataques do Sistema Mirante de Comunicação, de propriedade da família Sarney, aos capelães da Polícia Militar do Maranhão.

“Atacar aos capelães evangélicos é uma clara perseguição aos cristãos evangélicos que sempre lutaram pela evangelização em presídios do Maranhão, seguindo a premissa bíblica, “estive na prisão, e foste me vê”. Um desrespeito a todos nós evangélicos!”, criticou por meio das suas redes sociais.

Os veículos de comunicação do grupo Sarney tem tratado como escândalo a criação de cargos e nomeação de capelães evangélicos para os quadros da Polícia Militar do Maranhão.

O presidente estadual do PCdoB, Márcio Jerry, também reagiu e afirmou que os ataques demonstram a degradação da oposição sarneysista.

“Os ataques aos capelães evangélicos não agride o governador Flávio Dino, como José Sarney e seus capangas pensam, mas sim a todos os evangélicos, todos os cristãos. Realmente uma prova de degradação absoluta dessa gente”, disse.

Em nota, o governo do Maranhão informou que o número de cargos criados de capelão da Polícia Militar manteve-se na média das gestões anteriores, totalizando seis novas vagas. Diz ainda que na Polícia Civil, no Corpo de Bombeiros e no Sistema Prisional, a criação de cargos de capelania, conforme previsto na Constituição Federal, atendeu igualmente à necessidade de oferta da assistência a esses servidores, que tiveram seus quadros ampliados na atual gestão em 50%. E conclui afirmando que “as mudanças de patente efetivadas seguiram, como de praxe, regras da Corporação”.