Não nasci em Maracaçumé, mas cheguei nessa terra acolhedora aos 9 anos de idade. Como eu vim parar aqui? depois eu conto! Maracaçumé era um pequeno povoado onde todos se conheciam. O comercio não era essa agitação toda, tudo girava em torno de compras de ouro por conta dos garimpos na região de Chega Tudo e Cipoeiro.

Real Club e Xodó do Povão eram os lugares que faziam a alegria do povo e as músicas do saudoso Adelino Nascimento embalava os corações apaixonados até altas horas da madrugada.

Tudo era simples. O tempo custava passar. O ano era uma eternidade pra chegar ao fim. Nessa simplicidade e calmaria toda, vivia um povo acolhedor que soube receber de braços abertos quem chegava de mala e cuia. Maracaçumé é formado de pessoas vindas de várias partes do Brasil. Por isso que existe essa diversidade tão grande em nosso município.

De um pequeno povoado, em pouco tempo, ganhou status de cidade. De lá pra cá muita coisa mudou. A cidade hoje tem uma importância grande na região. O comercio e a prefeitura são as principais fontes de renda da população.

Aquele tempo mágico não volta mais, mas ficou na lembrança dos tempos bons e inesquecíveis.

Depois vou achar um tempinho pra escrever mais sobre nossa querida e amada Maracaçumé.

E você? Tem saudade daquele tempo?


RENATO COSTA