Preso desde outubro do ano passado, o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, resolveu ‘abrir o bico’. Foi o que informou os advogados de defesa dele à Procuradoria Geral da República que o ex-parlamentar tem interesse em delatar.

Os advogados saíram da reunião com os procuradores dizendo que agora começarão a colher as informações que Cunha deve entregar.

O ex-deputado foi condenado a 15 anos e 4 meses de reclusão na Operação Lava Jato. Ele ainda responde a outras duas ações penais, uma em trâmite na 10ª Vara Criminal Federal de Brasília, relativa à Operação Sépsis, e outra encaminhada ao Juiz Federal Sérgio Moro pelo Supremo Tribunal Federal, que investiga se ele recebeu propina de US$ 5 milhões em contratos de construção de navios-sonda da Petrobras. O ex-presidente da Câmara ainda é alvo em outros cinco inquéritos ligados à Lava Jato.


Com um fardo pesado, Cunha será o próximo a delatar os ‘parceiros’ o que significa que o Congresso Nacional deve estremecer ainda mais nos próximos dias.