Na matéria  “Estrada da Fome”, exibida pelo programa jornalístico Repórter Record Investigativo, foram mostrados quatros municípios do Maranhão (Belágua, Marajá do Sena, Fernando Falcão e Centro do Guilherme) como os mais miseráveis do Brasil, pobreza absoluta e onde o povo passa fome.
Não fosse a inclusão do município de Centro do Guilherme, a denúncia teria sido perfeita. Nos outros três a situação é de causar revolta e dor, confome os dados do IBGE e das cenas mostradas pelo programa.
No caso específico de Centro do Guilherme, os dados coletados pela equipe de reportagem da Record são do ano 2000, de acordo com os números do censo do IBGE. Tanto que o município não figura na lista das 30 cidades elencadas pelo programa Mais IDH do Governo do Estado do Maranhão.
Um dia após a exibição da matéria, o deputado Josemar do Maranhãozinho ocupou a tribunal da Assembleia Legislativa para rebater as informações colocadas pela Record e citou os números atualizados que dão a Centro do Guilherme posições mais progressistas.
Para que se tenha ideia, dos mais de 5000 municípios brasileiros, Centro do Guilherme está em posição melhor do que 272 cidades, conforme dados do censo do IBGE de 2010, o que significa dizer que de 2009 até os dias de hoje houve um avanço significativo que permitiu o crescimento do município.
Os números do IBGE desde 2010 contradizem as informações da Record de que Centro do Guilherme estaria na posição de cidade mais pobre do Maranhão. A cidade está acima de 47 outras mais desenvolvidas dos 217 municípios maranhenses.
A matéria distorceu tanto os fatos reais que a população de Centro do Guilherme reagiu, inclusive as pessoas que foram entrevistadas pela jornalista da TV Record e tiveram cortadas ou editadas suas respostas, dando a entender que a cidade só tem pontos negativos e alí reina a miséria aboluta. 
Blog do Luís Cardoso