As grandes discussões do ensino sempre foram pautadas nas funções sociais da educação. Um filme produzindo em 1967, ao mestre com amor, mostra essa relação bem nítida, e embora o enredo da obra seja ambientado nos anos 60, ela continua tendo o mesmo valor, pois a educação de sala, principalmente a pública, continua como a grande influenciadora dentro da sociedade.

O filme, já citado, relata a historia de um jovem professor que entra em uma escola onde estão matriculados os piores alunos: Adolescentes rebeldes e mal educados, que tem como objetivo expulsá-lo da escola como fizeram com os outros professores. No entanto, ele provoca uma revolução social dentro da escola como vamos transcorrer neste texto.

A escola tradicional, a chamada conservadora, sempre adotou o método repeteco, ou seja, os professores eram induzidos a seguires regras pré-estabelecido pela sociedade. As regras não podiam mudar e desta forma a sociedade não submergia seus valores tão aclamados pela elite conservadora. Há uma cena no filme, que descreve isso. A mãe de um dos alunos (que é preto) falece e os amigos de turma lhes compram flores, mas se recusam a levarem ao enterro por receio do que os outros vão pensar pela condição social. Entretanto, o professor usa a influencia e muda o paradigma daqueles alunos, e todos, na hora marcada, estavam no funeral entregando pessoalmente as flores.

A educação tradicional, do mesmo contorno, tem evoluído bastante e quebrado paradigmas. As técnicas obsoletas foram deixadas de lado e as portas se abriram para os novos processos que pouco a pouco tem produzido uma educação equitativa e respeitando as mudanças na sociedade. É claro que, para isso adentrar na sala de aula, houve uma ruptura por parte da sociedade tradicional, mas isso foi quebrado pelos processos tecnológicos que defendem a difusão dos novos modelos de educação, ações lentas que transforam a maneira de enxergar a educação.

Observando a educação no sentido amplo e contemplando seus objetivos claros, e um desses, é o processo de transformação do ser humano em pessoas mais justas, levando em consideração a educação da família e da sociedade, observamos que ela contribui para que o indivíduo tenha, além de conhecimento e técnicas, atributos sociáveis, isto é, habilidades para transformar a sociedade em um ambiente mais prazeroso, isso inclui: o respeito ao próximo, aceitação pela diferença, predicados afetuosos e etc.

 A escola prepara para a vida... É o filme mostra isso abertamente, quando, o professor chama a responsabilidade da turma e fala fracamente para todos que: “nenhum presente ali na sala era criança, e que todos deviam adotar aptidão de homens e mulheres de bem”, e ainda acrescentou: “que os hábitos ruins eram necessários ser deixado de lado para se alcançar o sucesso”. A principal função da escola no processo humano é: formar o cidadão com capacidade de interagir plenamente na política e na vida social com responsabilidade e placidez, quando a escola alcança esse objetivo ela tem cumprido o seu dever.

Outro papel importante da escola é a elevação do individuo dentro da sociedade. O mundo se desenvolve casa vez mais e para alcançar esse desenvolvimento à educação é indispensável, tanto para preservar o conhecimento, como para transformar o que já existe em novos conhecimentos capazes de fazer as grandes revoluções no campo educacional e social. Dentro da sala de aula, e no filme foi abordado, é imponte trabalhar um pouco de tudo, inclusive gastronomia – uma aula simples – mas que traz consequências positivas na vida. Esse é apenas um exemplo, de vários outros, que podem ser praticado na escola que terão efeito direto na sociedade, como as finanças do dia a dia ou até mesmo relações afetivas.

A arte de repassar o conhecimento, antes feita de boca a boca, e que hoje são registradas nas mais variadas plataformas, mudou o jeito de transferir o conhecimento, mesmo com tudo anotado, é necessário o acompanhamento do profissional com experiência, é por isto que, tanto médicos como engenheiros, precisam passar pela residência, isto é, um estágio ao lado do profissional da sua área.

Porém, isso não hesita que ajam as inovações atreladas à área da educação. Os modelos antigos podem permanecer desde que, esse modelo seja ligado às novas metodologias compreendidas pelo novo sistema educacional. Essa reflexão me faz lembrar que no filme a AO MESTRE COM CARINHO, o professor preciso abandonar a maneira tradicional e implantar uma nova maneira de ensinar, sem livros, assuntos planejados e etc. A nova aula era escolhida – muitas vezes – pelos alunos que ali tiravam suas dúvidas sobre temas, que muitas vezes, não tinha oportunidade de pergunta em casa. Esse modelo de educação, regulada na liberdade de ensino, é um dos modelos da nova educação e que está, cada vez mais, sendo implantado como alternativa para libertar a educação tradicional.

A educação quando bem trabalhada na vida de uma pessoa ela tem a competência de transformar todo o seu ciclo de vida, e isso vai muito além a sua existência, incorpora outras pessoas que são beneficiadas com os atributos positivos, que no mais provável, transforma todo um ambiente, antes sem prospecção, em um espaço com benefícios coletivos. Isso só é possível quando existe espaço para a educação, pois, quando existe educação de qualidade se constroem homens e mulheres com condições imensuráveis.

É através dessa visão que se constroem intelectuais preocupados com o campo cientifico. Colaboradores, não apenas por um tempo, mas a vida inteira, disponível para ajudar a construir uma escola mais forte que realmente faça a diferença dentro de um sistema. Neste caso, o sistema público, que tem em suas amplitudes, um sistema falho e que precisa ser melhorado urgentemente para que tudo que foi dito anteriormente, não seja privilégio apenas de alguns, mas que seja para todos, em um universo que abarque pobres, pretos, braços, ricos e deficientes, e que para isso, não sejam necessários a implantados de cotas e mais cotas como vemos atualmente, mas que haja uma revolução no processo de ensino aprendizagem.

A educação pública deve, além de promover a cultura entre os alunos, ensinar a todos a respeitar as diferenças que existem entre elas. Esse panorama eclético é a porta principal para a liberdade de expressão, ou seja, é de onde surgem os talentos ocultos. Fazer aflorar as habilidades, que podem ser variadas, é a grande missão da escola. O modelo atual está um pouco atrasado, em comparação, a outros países, onde o aluno desde cedo é diagnosticado, ou seja, é direcionado a desenvolver aquilo que ele tem mais habilidades. Isso provoca uma revolução nas especializações lá na frente. Pois, não se perdeu tempo com aquilo que não interessava.

Refazer a escola pública com esse novo modelo é um desafio, porém não impossível. Muito se houve dizer que o problema da educação é a falta de dinheiro, pode até ser por um lado, porém, comparado escolas do próprio Brasil que deram certo, com menos dinheiro, com escola que receberam muito é um paradoxo, que é preciso ser estudo e visto pelos pedagogos da educação. O dinheiro não é tudo, pois não adianta muito dinheiro sem que haja planejamento para o que fazer com ele. E a mesma coisa de equipar uma escola com aparatos tecnológicos e a maior parte dos professores não saberem manusear – esse investimento será em vão. Tudo precisa caminhar com objetivos claros e definidos e com metas a serem cumpridos nos prazos.

Até hoje a educação não funcionou porque é atrelada a administração pública municipal. Onde os profissionais da educação são nomeados, não por capacidade, e sim, por apadrinhamento politico. Isso enche as escolas de maus professores, péssimos coordenares e por ultimo, diretores corrompidos.  Um ciclo que se fecha no aluno que, desmotivado por não vê o barco andar, resolve por se só cair fora antes do tempo, antes do barco afundar, pois não enxerga motivação em quem está guinado o barco, imagina em que está longe, que é o caso dos pais que são tomam providências, em relação a escola, apenas quando ameados de cortes no tal da bolsa família.

O papel da família é muito importante no processo de aprendizagem, no filme, um momento atraente, foi quando uma mãe de uma aluna foi pedir ajudar para o professor, porque sua filha estava saindo copiosamente e retornando tarde de casa, e ele prontamente se dispões a cooperar no caso, e o final foi que os episódios mudaram. A participação da família na escola é um dos pontos altos para que a educação funcione, não apenas cobrando dos filhos, mas cobrados dos profissionais da educação também. Discutir os problemas de casa e escola revela os pontos que podem está prejudicando o aluno na sala de aula.

Enfim, a escola é um lugar de harmonia. Devia existe atributo, mais louváveis para se interpretar, mas sabemos que estamos apenas caminhando para conquistar esse objetivo. Embora a caminhada seja longa, a escola, mesmo com falhas, ela cumpre seu papel dentro do limite disponível. É uma promotora de ideias, de lá saem os homens que ajudaram a construir a educação que vemos hoje; os homens que investiram tempo e dinheiro se preparando para elevar o grau das instituições superiores, e hoje é acessível a todos e principalmente porque a escola é transformadora.

Sim, a escola desempenha esse papel tão crucial que a gente vê nas pessoas que estão mais tolerantes sobre determinados assuntos, que antes era tabu, e se alguém falasse era castigado ou então jogado na fogueira. A educação promove a mudança de pensamento e faz os homens, em sua plenitude, serem mais sensíveis. Isso é resultado da escola e das modificações que ela tem provocado na vida das pessoas ao longo do processo de modificação do aprendizado.

Essa evolução constante nos leva a acreditar que muito em breve estaremos melhores e mais humanos. Com igualdade para todos, sem exceção. Nessa nova sociedade a escola será para todos e ela cumprira o seu dever de casa direitinho. Eu creio e estudo para fazer parte desta revolução.

Por: RENATO COSTA.