Antes de tudo quero dizer que não guardo magoa de ninguém, não empato minha alma com sentimentos nefastos, se por acaso alguém está ocupado a sua comigo, está perdendo tempo, ao invés disso, procure ocupá-la com coisas melhores, não que eu seja ruim, uma dica: encha sua alma com os frutos do Espírito.
Por que estou escrevendo isto? Porque sou desenhado como uma pessoa polêmica, vez e outra escuto: “Renato, mas tu é polemico!”. Não consigo enxergar essa natureza tão desregrada que tantos falam, mas não ligo pra isto, é melhor está na boca do povo, do que esquecido nas profundezas dos vales.
Procuro fazer o melhor para Deus. E por isso, entendo que sou julgado. Será que fazer o trabalho de Deus com excelência agora é errado?... Isso não é de agora, Paulo no inicio da igreja também sofreu, Ele fez as reformas para que o Cristianismo chegasse aonde chegou, mas teve que enfrentar o apóstolo Pedro. Hoje, dentro das igrejas existem essas ações sem fundamentos. Uma crise que abre portas pra indiferença.
Estou sendo julgado por algo que não cometi, apenas estava no lugar errado e tive que optar entre a cruz e a espada, entre seguir em frente ou voltar atrás, mas aí tinha um projeto, uma missão, um desafio a ser vencido, havia o congresso, optei por seguir.
Sei que muitos me olham como traidor, me ignoram por achar a culpa em mim. Fiquei triste, Deus sabe como o meu coração sangra, mas Ele sabe também das minhas intensões que nunca foram de magoar ninguém ou de excluir ninguém, faço o meu trabalho e quando estou dentro faço o meu melhor.
Nunca trocaria uma amizade, por questões banais provocados por erros que foram cometidos tentando acertar. Acredito que amizades deveriam ultrapassar as barreiras das dimensões da igreja: cargo, função, quem fez isso ou deixou de fazer aquilo, nada importa. O que importa é que a obra de Deus foi feito, almas foram alcançadas, vidas foram transformadas e todos devem festejar.
Estou deprimido, meu espírito lamenta, chora por que uma historia de amizade não deveria ter se quebrado por uma coisa tão banal. O tempo é o pai da razão. Espero que tudo seja esquecido e jogando ao vento.
RENATO